A Verdade em Foco (Podcast) - Ozias Valentin

Estamos inaugurando uma nova forma de comunicação na cidade da Vitória de Santo Antão. Em tempos onde a mídia assistida e ouvida são dominadas por concessões que mais se parecem com conchavos políticos, onde rádios e televisões são mais propriedades particulares do que públicas, surgimos aqui com esta mídia alternativa muito difundida mundo a fora, o Podcast.

Podcast se trata de uma rádio onde o seu conteúdo é divulgado de maneira diferente, com a vantagem de você poder acompanhar a programação onde você estiver e no horário que você preferir. Mais uma vez o Jornal A Verdade vem na vanguarda de novas propostas, experiências e tecnologias. A partir de agora teremos uma Voz na cidade de VItória de Santo Antão e região, o nosso leitor pode se transformar em ouvinte e assim estamos dando mais um passo na ocupação dos espaços de comunicação disponíveis neste vasto mundo que é a internet.

Você poderá acompanhar nosso Podcast através desta página onde no final da postagem terá um Player onde bastará clicar no Play ►.

Mas, para a sua comodidade, também estará disponível para telefones Android, através do Aplicativo Podcast Addict disponível no Google Play. E também para usuários de iPhones e Mac através do iTunes.

Neste primeiro programa tivemos o prazer de entrevistar o Secretário de Governo e Articulação Política da cidade da Vitória de Santo Antão Ozias Valentim e principal nome para a sucessão do atual prefeito Elias Lira pelo PSD.

Aproveitem o nosso primeiro programa.

Oposição promete paralisação pacífica de ônibus entre 4h e 10h desta quarta

A quarta-feira promete repetir o drama vivenciando por cerca de dois milhões de usuários do transporte público na Região Metropolitana na última segunda. A Oposição dos Rodoviários de Pernambuco anunciou a paralisação do sistema entre 4h e 10h. A manifestação será pacífica, de acordo com os organizadores. Nesta terça, motoristas, cobradores e fiscais se dividiram entre o protesto programado pelo Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviários de Pernambuco e uma panfletagem articulada pela Oposição na Praça da Independência, conhecida como Praça do Diario, ambos na região central do Recife.

Para Aldo Lima, presidente da Oposição, os atos refletem a insatisfação da categoria com a derrubada do reajuste salarial por parte do Tribunal Superior do Trabalho. "Estamos aqui para apoiar os trabalhadores. A categoria está mobilizada há muito tempo. Desde o dia em que descobrimos que os patrões recorreram da decisam do Tribunal Regional do Trabalho. Nossa luta é legítima", esclareceu o líder do movimento.

De antemão, a Oposição informou que a paralisação será pacífica e deverá acontecer apenas pela manhã. "Vamos protestar sim e a paralisação está programada para acontecer entre 4h e 10h", detalhou. "Agora se houver truculência ou coação por parte dos empresários, vamos fazer novos atos", complementou Aldo Lima.

Nesta terça, o grupo reuniu alguns trabalhadores para entregar uma carta aberta À população explicando os motivos do movimento. No documento, eles denunciaram o sucateamento da frota e o descaso com as condições de trabalho de motoristas, cobradores e fiscais.

A Oposição dos Rodoviários não tem novas assembleias marcadas e adiantou que vai aguardar o julgamento do recurso pelo TST.

Confira o texto da carta aberta entregue à população na íntegra:

Quem usa transporte público sabe o sufoco que é todos os dias. Ônibus lotados e velhos, com falta de manutenção e de segurança. Isso tudo com o preço das passagens muito alto. Nós, rodoviários, também sofremos. São péssimas as condições de trabalho! Os salários são baixos e recebemos o pior ticket alimentação do Brasil.

Enquanto nós rodoviários e vocês trabalhadores usuários somos tratados com desrespeito... Eles, os mega-empresários dos transportes riem da gente, junto com o Excelentíssimo Senhor Governador que tem o rabo preso com eles, afinal financiaram sua campanha eleitoral. Eles nadam em dinheiro e nós nadamos e nadamos e morremos na praia.

Por que vamos paralisar novamente?

Duas semanas atás fizemos uma greve e conquistamos 12% de reajuste salarial e R$ 300 nos tickets alimentação. Os patrões conseguiram suspender esse aumento com a ajuda de seus amiguinhos de Brasília. Dizem que "não existe dinheiro". Como assim não tem dinheiro? Por que não abrem as contas para a população? Um verdadeiro absurdo!

As paralisações causam muito transtorno para a população, sabemos disso. Mas a culpa não é nossa! Somente através dela podemos mostrar a nossa força para os empresários e para o governo. Eles que são os culpados de tudo isso que está acontecendo.

Muitos nos perguntam porque não abrimos as catracas. Essa medida é ilegal e podemos até ser presos se fizermos isso. Somos pais e mães, trabalhadores como vocês, queremos apenas respeito e salário digno para sustentar nossas famílias.

Agradecemos o apoio que recebemos de toda a população!

É preciso lutar, é possível vencer!

Militantes do PT fazem ato para protestar contra ajuste fiscal, tocado pelo próprio governo petista

Os autointitulados “movimentos sociais” estão programando fazer, no dia 20, atos em dez capitais do país em resposta aos protestos do dia 16. Nesta terça-feira, deve ser lançado hoje manifesto com duras críticas ao governo Dilma Rousseff. “Contra a direita”, eles se dizem também contra “o ajuste fiscal”. O documento é assinado por MTST, CUT, MST, UNE e por dois partidos: PSOL e PC do B. O PT foi convidado, mas não endossou o texto.

Compesa pode enfrentar greve a partir da zero hora deste sábado

O Sindicato dos Trabalhadores da Compesa, denominado Sindicato dos Urbanitários de Pernambuco (Sindurb/PE), informou na tarde desta terça-feira (4) que os servidores da estatal aprovaram greve por tempo indeterminado. A paralisação terá início a partir da meia noite do próximo sábado (8). A última greve da categoria aconteceu em 2001.

Por ser considerado serviço essencial, a categoria disse que irá respeitar os trâmites legais de comunicado com 72h de antecedência, em respeito, principalmente, à população usuária dos serviços.

“Após mais de três meses de negociação, em audiência de mediação realizada no Ministério Público do Trabalho, a Compesa apresentou uma proposta considerada rebaixada pela categoria, sendo o índice do INPC, de 8,34%, e a forma de pagamento de 5% este ano e 3,34% apenas em 2016″, explica o sindicato.

Na última mesa, realizada no último dia 28, o procurador José Laízio Pinto Junior, mediando as negociações, reconheceu a ocorrência de malogro no processo.

A categoria reivindica um aumento de 13,28% retroativo a maio e pago ainda esse ano. De acordo com a entidade sindical, além disso, há cláusulas sociais importantes para corrigir diferenças salariais e pagamento de hora extra, por exemplo.

O presidente do Sindurb/PE, José Gomes Barbosa, explica que durante a paralisação serão mantidos os serviços de tratamento e distribuição de água. “Em cumprimento à determinação judicial, vamos  priorizar os trabalhadores que atuam na atividade de produção de água e nas estações de tratamento. O serviço é primordial e é o que causa maior transtorno à população caso falte”, afirmou Barbosa.

Quanto à entrega das contas e o funcionamento das lojas de atendimento, Barbosa explica que a atividade é feita por empresa terceirizada, mas adverte que os servidores responsáveis pela emissão das contas estarão em greve. Logo, o serviço deve atrasar.

“Os demais serviços de atendimento, os encanadores, os demais trabalhadores vão estar paralisados”, disse.

PROTESTO – A categoria aprovou a realização de uma passeata na próxima segunda-feira, 10, com a concentração a partir das 8h, na Compesa da Avenida Cruz Cabugá.