Como parar de roncar e dormir melhor

Se você é como a maioria dos brasileiros, provavelmente você não dorme oito horas por noite.

Mas se você também se sente constantemente cansado, com dor de cabeça sem razão óbvia ou pressão alta, você pode ter um problema mais sério.

Isso porque todos esses sintomas podem ser resultados do ronco, que, por sua vez, é o sintoma mais comum de um problema de saúde sério: apneia obstrutiva do sono (SAOS).

Embora a maioria das pessoas acredite que o ronco é uma pequena perturbação, pesquisas mostram que isso pode ser perigoso para a sua saúde. Isso porque, para mais de 18 milhões de americanos, ele está relacionado à apneia obstrutiva do sono (SAOS). As pessoas que sofrem da SAOS param de respirar repetidamente e sem saber durante a noite devido a uma obstrução parcial ou total de suas vias aéreas. Isso ocorre quando os músculos da mandíbula, garganta e língua se relaxam, bloqueando as vias aéreas usadas para respirar. A falta de oxigênio resultante pode durar por um minuto ou mais e ocorre centenas de vezes por noite.

Felizmente, a maioria das pessoas acorda quando uma obstrução parcial ou completa ocorre, mas isso pode deixar você se sentindo muito cansado. A SAOS pode estar ligada a um conjunto de problemas de saúde, incluindo:

    Refluxo
    Urinação noturna frequente
    Perda de memória
    Derrame
    Depressão
    Diabetes
    Ataque cardíaco

Pessoas com mais de 35 anos correm mais riscos.

O diagnóstico e o tratamento da SAOS pode ser caro e nem sempre são cobertos pelos planos de saúde. Uma clínica do sono exigirá uma visita noturna (até US$ 5.000). Os médicos então analisam os dados e prescrevem um entre diversos tratamentos. Esses podem exigir que você use dispositivos de CPAP desconfortáveis que forçam o ar por seu nariz e boca enquanto você dorme para manter suas vias aéreas sempre abertas e podem até mesmo incluir uma cirurgia dolorosa.

Felizmente, agora há uma opção de tratamento confortável, muito mais barata e menos invasiva disponível. Um estudo de caso recente publicado pela Divisão de Medicina do Sno da Eastern Virginia Medical School no Jornal de Medicina Clínica do Sono conclui que usar uma simples faixa no queixo enquanto você dorme pode ser umtratamento eficiente para a SAOS.

A faixa de de queixo, agora disponível com uma empresa chamada My Snoring Solution, funciona ao apoiar a mandíbula inferior e língua, impedindo a obstrução da via aérea. Ela é feita de um material altamente tecnológico, leve e super confortável. Milhares de pessoas já usaram a faixa MySnoringSolution para ajudar a aliviar os sintomas de ronco e relatam melhorias no sono e na saúde graças a ele.

Uma solução eficiente contra o ronco por apenas US$ 119

A faixa “My Snoring Solution” está disponível exclusivamente no site da empresa, que está com uma promoção por tempo limitado de “2 por 1”. O produto também vem com garantia de 100% de satisfação.

Se você quer parar de roncar de uma vez por todas, sem dispositivos intrusivos ou CPAP caros, essa pode ser a solução que você está esperando. A faixa grátis adicional é ótima para viagens ou como um presente para um amigo que também sofre.

E o melhor de tudo é que o produto vem com uma garantia incondicional de 90 dias para devolução do seu dinheiro.

Após briga por paternidade na Via Mangue, PT e PSB trocam afagos em público

Durante seu discurso, o prefeito Geraldo Julio agradeceu o empenho do Governo Federal, através do Ministério das Cidades e da Caixa Econômica Federal, nos trâmites que envolveram os trabalhos de execução da obra. Para tirar a Via Mangue do papel, a Prefeitura do Recife investiu R$ 412 milhões, sendo R$ 81 milhões de recursos próprios e R$ 331 milhões de financiamento, enquanto o Governo Federal aportou R$ 19 milhões – resultando no montante de R$ 431 milhões de investimentos.

Geraldo aproveitou para agradecer o apoio da presidente Dilma Rousseff para a execução da obra. “Em nome do povo do Recife, a Prefeitura do Recife agradece ao Governo Federal a parceria e o empenho para que a Via Mangue se tornasse realidade”, acrescentou.

“Uma obra desta dimensão, deste tamanho, do impacto positivo que ela vai trazer para a nossa cidade, e que começou a ser discutida a no mínimo 20 anos, vai mexer com a vida de todos os recifenses. Aqui nós vamos ter a circulação de veículos, mas também prioriza o pedestre, o ciclista e o transporte público com a Faixa Azul.

Foram nestas prioridades que nós colocamos nossa energia nesses últimos tempos”, disse o prefeito.

A presidente Dilma Rousseff parabenizou o projeto de implantação da Faixa Azul a partir do tráfego de veículos leves na Via Mangue.

“Eu comprimento o prefeito Geraldo Julio pela dimensão da obra, mas também pelo fato dela integrar três tipos de mobilidades. E a mobilidade do transporte coletivo é fundamental, junto com a dos veículos e a das bicicletas. Em todos os países do mundo, quando se integra todos os tipos de mobilidade, é resolvida uma parte expressiva do problema da mobilidade em grandes concentrações urbanas”, disse a presidente. “As faixas exclusivas para transporte coletivo nas avenidas Domingos Ferreira e Conselheiro Aguiar são muito importantes”, continuou Dilma.

Na próxima segunda-feira (25), a Prefeitura vai implantar a Faixa Azul da Avenida Conselheiro Aguiar, um corredor exclusivo de ônibus que vai beneficiar 144 mil passageiros por dia.

A Via Mangue é considerada a maior obra viária das últimas décadas na capital pernambucana. A pista oeste foi aberta para a circulação de veículos em junho de 2014.

Cunha pede que STF paralise inquérito até que deixe comando da Câmara

A defesa do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), solicitou ao STF (Supremo Tribunal Federal) que paralise o andamento de um dos inquéritos abertos em decorrência da Operação Lava Jato até que o parlamentar deixe o comando da Casa. Seu mandato na presidência vai até fevereiro de 2017.

O pedido tem 107 páginas e foi protocolado no último dia 18 de dezembro no inquérito que tramita sob segredo de Justiça com a relatoria do ministro Teori Zavascki.

O documento deverá ser encaminhado para manifestação da PGR (Procuradoria-Geral da República), avaliado pelo ministro Teori e então submetido ao plenário do STF para uma decisão colegiada.

Os advogados de Cunha pedem ao Supremo que aplique "por analogia" o parágrafo 4º do artigo 86 da Constituição, segundo o qual o ocupante do cargo de presidente da República não pode ser responsabilizado, na vigência de seu mandato, por atos estranhos ao exercício de suas funções. Os advogados citam que Cunha é "o terceiro na linha da sucessão presidencial, na hipótese de impedimento ou vacância dos cargos de presidente e de vice-presidente da República".

Em denúncia protocolada em agosto passado, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, acusa Cunha de ter recebido US$ 5 milhões em propina após o fechamento de contratos entre a Petrobras e empresa coreana Samsung Heavy Industries para fornecimento de navios-sondas.

Segundo a denúncia da PGR, as irregularidades no contrato ocorreram entre 2006 e 2007 e os pagamentos a Cunha foram feitos a partir de 2011. Cunha assumiu a presidência da Câmara em fevereiro de 2015.

Além de solicitar a suspensão das investigações, os advogados de Cunha também pedem ao STF que não autorize o uso, no inquérito, de nenhuma prova coletada na Operação Catilinárias, deflagrada pela PGR e pela Polícia Federal no dia 15 de dezembro, "sob pena de nulidade". Eles alegam suposta "violação ao devido processo legal", pois as buscas e apreensões teriam sido desencadeadas "no curso do prazo para a sua defesa [de Cunha]" no STF.

Os advogados também solicitam que seja reconhecida a nulidade dos depoimentos complementares prestados pelo executivo Julio Camargo, que acusou Cunha de receber propinas após tê-lo eximido de responsabilidade, em seus primeiros depoimentos prestados no acordo de delação premiada. E que seja anulado um termo de acareação entre Camargo e o ex-diretor de abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa.

Segundo a defesa, as declarações complementares de Camargo não passaram por um acordo de delação premiada e deixaram o executivo na "condição de réu-colaborador e testemunha" ao mesmo tempo, o que, na visão da defesa, estaria "em conflito com o sistema legal".

A peça –subscrita pelos advogados Antonio Fernando de Souza, Alexandre José Garcia de Souza, Reginaldo Oscar de Castro, Davi Machado Evangelista, Rafael Garcia de Souza e Giovanna Bakaj Oliveira– afirma ainda que apareceram diversas "contradições e omissões" quando foram comparados os termos de depoimento escritos e assinados por Camargo e o lobista Fernando Baiano e as gravações em áudio e vídeo dos mesmos depoimentos.

NOS AUTOS

Procurada, a PGR informou que não poderia responder às dúvidas levantadas pela defesa de Cunha neste momento porque "os questionamentos serão apresentados nos autos do inquérito".

O deputado é alvo de um segundo inquérito aberto pela PGR, sobre contas que mantinha na Suíça, mas nesse caso ainda não houve denúncia. Janot também já pediu ao STF o afastamento do deputado do cargo de presidente da Casa.

SAIBA MAIS

Quando trata de acusações contra o presidente da República, a Constituição determina que o mandatário "não pode ser responsabilizado por atos estranhos ao exercício de suas funções" durante seu mandato.

A lei afirma ainda que, em caso de crime comum, como corrupção, o presidente deve ser afastado por 180 dias caso o Supremo Tribunal Federal receba a denúncia.

O presidente da Câmara dos Deputados é o terceiro na sucessão do cargo de presidente da República.

Brasil terá o pior PIB entre as principais economias do mundo, prevê FMI

O Fundo Monetário Internacional (FMI) voltou a piorar as previsões para a economia brasileira e vê o Produto Interno Bruto (PIB) do País encolhendo 3,5% este ano, o pior desempenho entre os principais países do mundo, de acordo com documento divulgado nesta terça-feira, 19. Para 2017, a aposta é de estagnação, com crescimento zero, ante previsão de expansão de 2 3% do relatório anterior do FMI, divulgado em outubro, durante sua reunião anual.

Além de ter o pior PIB entre as principais economias mundiais, o Brasil foi o país que teve o maior corte nas projeções no relatório divulgado nesta terça-feira pelo FMI. A projeção para 2016 foi cortada em 2,5 pontos porcentuais. A de 2017, em 2,3 pontos. Para 2015, o Fundo projeta retração de 3,8%.

Os economista do Fundo culpam o Brasil pela piora nas projeções de crescimento da América Latina. A região deve encolher 0,3% em 2016 e voltar a crescer no ano que vem, quando o PIB deve se expandir 1,6%. A alta deve ser puxada pelo México, que crescerá 2,6% este ano e 2,9% em 2017, números também menores do que os divulgados em outubro. "Há grande divergência entre os emergente como o Brasil, que enfrenta problemas políticos, e outros com melhor situação que estão crescendo menos", afirma o economista-chefe do FMI, Maurice Obstfeld em um vídeo.

O FMI destaca que a recessão "mais longa e mais profunda que o previsto" no Brasil vem sendo causada pela incerteza política e pelos desdobramentos das investigações de corrupção na Petrobras. Além do impacto político da Operação Lava Jato, a petroleira e sua cadeia produtiva e de fornecedores têm cortado investimentos e engavetado projetos.

A Rússia, outro emergente que teve recessão em 2015, deve ter melhora da economia este ano. Depois de encolher em ritmo semelhante ao do Brasil no ano passado, com queda do PIB de 3,7% o FMI estima que este ano o país deve ter retração de 1% e voltar a crescer no ano que vem, com previsão de alta de 1%.

A economia brasileira terá desempenho este ano e no próximo abaixo da média dos emergentes e da economia mundial. Os emergentes devem crescer 4,3% e 4,7%, respectivamente em 2016 e 2017. A economia mundial deve se expandir 3,4% e 3,6%.