Imprimir

Vereador Luiz Prequé faz denúncias contra prefeito de Gravatá

O vereador de Gravatá Luiz Prequé (PSB), acusa o Prefeito Bruno Martiniano (PTB) de crimes como FORMAÇÃO DE QUADRILHA, FALSIDADE IDEOLÓGICA e SONEGAÇÃO FISCAL.


Luiz Prequé denuncia formação de quadrilha na prefeitura de Gravatá e pede CPI para investigar as denúncia.

22 de outubro de 2014 por Tomaz de Aquino 12:26h

O vereador de oposição Luiz Prequé faz graves denúncias contra fatos criminosos, que segundo o vereador, ocorreu na prefeitura de Gravatá, executados pelo prefeito Bruno Martiniano. Lendo uma denúncia encaminhada ao procurador de justiça de Pernambuco pela bancada oposicionista ele afirma:

Diz o vereador: O TCE determinou a exoneração do então secretário de finanças senhor Marcelo Gaston, acusando-o de ser pessoa inidônea, entretanto, mesmo exonerado continua dando expediente e tem como laranja o senhor Gabriel Tenório, que faz tudo que o Gaston manda.

Continuando, denuncia que o secretário de obras senhor Marcos Túlio comprou um veículo mercedes benz, modelo 680, ano 2013, PGM 1005, encontra-se no garagem no edifício Vila de Almeida em Recife. Ainda existe no nome de Marcos Túlio um apartamento na avenida Boa Viagem, no edifício João Heráclito,  que depois foi feita uma procuração do secretário para a esposa do prefeito a senhora Paula Martiniano Lins, caracterizando crime de formação de quadrilha e fraude fiscal.

Ainda falando sobre as irregularidades denunciou como sendo outro laranja do prefeito Bruno Martiniano o seu sogro, pai de sua esposa, Paulo Roberto Carvalho, pessoa simples e modesta que repentinamente comprou pelo valor de R$ 660.000 reais, pago em espécie, 44 lotes no loteamento Fazenda Baraúna em Gravatá, sendo 22 lote na quadra X e 22 lotes na quadra W, em seguida fez uma procuração para o prefeito Bruno Martiniano dando-lhe plenos poderes sobre os bens adquiridos.

Denunciou que o prefeito após ingresso na prefeitura de Gravatá, adquiriu nos anos de 2013 e 2014 vários imóveis: Apartamento no 5º andar no edifício Ville D´Almeida, uma casa no condomínio Raiz da Serra, está morando lá, por R$ 1.200.000 (Hum milhão e duzentos mil reais), dois flats no conjunto residencial Villa Hípica, um flat no conjunto residencial Winterville.

Por fim, existe uma conta bancária no Banco Itaú agência 3648 – 017346 no nome de uma empresa VU Cavalcanti Tenório. Dessa forma o prefeito cometeu crimes de falsidade ideológica, sonegação fiscal e formação de quadrilha.

Para concluir, o vereador apresentou a declaração do Imposto de Renda do prefeito onde ele declara possuir apenas um GOL 1.0 – no valor de R$ 28.099,00 e R$ 10.000 mil reais em espécie, destacando que o ganho do prefeito nesse período foi de R$ 192 mil reais e ele comprou patrimônio no valor de mais de R$ 6 milhões de reais.

Complementando informou existir uma empresa  com o seguinte nome: BM Empreendimentos e Participações  Ltda com capital de R$ 6.000, 00 (seis mil reais) e chama a atenção para a coincidência “B” de Bruno e “M” de Martiniano.

Assinam a denúncia os vereadores:


Luiz Prequé (PSB) Dona Sonia (PP), Nicomedes Júnior de Obras(PPS), Júnior de Paulo(PRP).

Imprimir

Após a eleição, deputados pernambucanos farão homenagem a Eduardo Campos

Dois dias após o segundo turno da disputa presidencial, os deputados estaduais de Pernambuco irão realizar uma sessão solene na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) para uma homenagem póstuma ao ex-governador Eduardo Campos, na próxima terça-feira (28).

A reunião solene irá ocorrer no Plenário da Alepe, às 18h. A proposta é do presidente da Assembleia, Guilherme Uchôa (PDT).

Eduardo Campos morreu no dia 13 de agosto, em um acidente aéreo ocorrido em Santos, no litoral paulista, em meio à sua candidatura à Presidência da República.

Eduardo Campos havia renunciado ao cargo de governador no início de Abril para disputar a presidência.

Após a tragédia, a família e os aliados do ex-governador passarão a apoiar a ex-senadora Marina Silva (PSB) e, depois, o senador Aécio Neves (PSDB) na corrida presidencial.

A família Campos também se envolveu na ca
mpanha do governador eleito, Paulo Câmara (PSB), e do senador eleito, Fernando Bezerra Coelho (PSB).

Imprimir

Mendonça Filho acusa farsa do PT na CPI da Petrobras

Mendonça Filho (DEM), deputado federal por Pernambuco, acusou a campanha da presidente e candidata à reeleição Dilma Rousseff (PT) de organizar uma “farsa” para prejudicar o andamento da CPI da Petrobras. O deputado se referia ao atestado médico enviado pela petrolífera para justificar a ausência de um diretor que deporia nessa quarta-feira (22).

Mendonça, junto com o também deputado e membro da CPI Onyx Lorenzoni (DEM-RS), sugeriu que a ausência de José Carlos Cosenza, diretor de abastecimento da estatal, foi uma estratégia armada pelo PT para evitar “mais um constrangimento” público às vésperas da realização do 2° turno das eleições.

“Gostaria de manifestar o meu espanto com a súbita doença do diretor Cosenza no dia de seu depoimento na CPMI. Isso mais me parece uma farsa comandada pelo marketing da campanha da presidente Dilma”, enfatizou o deputado.

Deputados do DEM e de outros partidos da oposição afirmaram que o documento apresentava sinais de fraude. Segundo eles, o documento não esclarecia qual a doença que motivou o afastamento de Cosenza da CPI. O documento citava uma “intercorrência clínica”.

Os deputados também dizem que, depois que o atestado foi divulgado pela imprensa, houve uma alteração sobre o quadro clínico do diretor. O documento apontava para uma crise de hipertensão.

Imprimir

Youssef nega ter negociado com líder do PSDB

Um dia após o empresário Leonardo Meirelles ter afirmado, durante interrogatório na Justiça Federal do Paraná, que Alberto Youssef, um dos líderes da organização criminosa que teria movimentado R$ 10 bilhões, negociava com o ex-presidente nacional do PSDB Sérgio Guerra, falecido em março deste ano, o advogado do doleiro pediu a realização de uma acareação. Ela nega que Youssef tenha tratado com Guerra ou qualquer outro integrante da legenda tucana. Meirelles era diretor-presidente do laboratório Labogem e um dos integrantes do esquema montado por Youssef que abastecia caixas de partidos políticos com recursos de grandes empreiteiras.

O pedido de acareação foi protocolado, na tarde de ontem, pelo advogado Antônio Figueiredo Bastos, responsável pela defesa de Youssef. Ele assegura que seu cliente não negociou com nenhum integrante do PSDB.

Ao portal de notícia G1, ele declarou que a colaboração do doleiro não tem relação partidária. “Meu cliente desafia qualquer pessoa a provar uma relação dele com o Sérgio Guerra ou qualquer outra pessoa do PSDB. A colaboração dele é apartidária, não quer prejudicar ninguém. A colaboração toda está sendo feita baseada em documentos, que corroboram os indícios do que ele está dizendo”.

No interrogatório, Leonardo Meirelles também acusou o Partido Progressista (PP). “No escritório da Avenida São Gabriel, em São Paulo, tinha um fluxo grande de políticos do partido PP.” Ele, considerado um dos laranjas de Youssef, alegou que a legenda tinha “uma grande quantia em aberto com ele como saldo de financiamento de campanha de 2010”.

Imprimir

Aécio diz que vai "libertar" os brasileiros do PT

Ao lado de lideranças do Estado do Mato Grosso do Sul, o candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, subiu o tom contra os petistas e reiterou que vai "libertar" os brasileiros do governo do PT. "Vou vencer as eleições e vou tirar o governo do PT. Vou libertar os brasileiros desse partido político que esqueceu dos brasileiros", afirmou Aécio em comício realizado nesta terça-feira (21) no Clube nipo-brasileiro.

Aécio lembrou que restam apenas cinco dias para a eleição e convocou os presentes para "fazer a mudança mais importante nos últimos anos", em referência à própria eleição. "O que está em jogo é muito mais do que a vitória de um partido político. Temos uma oportunidade histórica", disse. "Fiquem vigilantes até o dia 26".
Mais cedo, em coletiva de imprensa, Aécio contestou o resultado do Datafolha, que o mostrou numericamente atrás de Dilma Rousseff (PT), no limite do empate técnico. Os institutos de pesquisas estão devendo explicações desde o primeiro turno. Os erros foram grosseiros em toda parte", afirmou. "Se o resultado é esse, em comparação com o primeiro turno, considero que o Datafolha me coloca como próximo presidente da República".

No ato em Campo Grande, o candidato do PSDB ao governo do Estado Reinaldo Azambuja, ironizou o adversário do PT na disputa local Delcídio Amaral. "Aqueles que achavam que iam ganhar no primeiro turno compraram até o terno da festa mas esqueceram de combinar com o povo", disse. De acordo com a última pesquisa Ibope, divulgada ontem, Azambuja tem 51% dos votos válidos contra 49% de Delcídio, em empate técnico.

Aécio e Azambuja defenderam o voto casado no Estado com o objetivo de fortalecer futuras parcerias nas áreas de infraestrutura, saúde e segurança.

Após o ato, Aécio deve seguir para Goiânia, onde participa de eventos ao lado do governador Marconi Perillo (PSDB), que tenta a reeleição.

Imprimir

Caminhada pelo Recife encerra agenda de Lula e Dilma em Pernambuco

Uma caminhada pelas ruas do Centro do Recife encerrou a maratona de agendas que a presidente e candidata à reeleição Dilma Rousseff (PT) teve em Pernambuco durante esta terça-feira (21). Ela chegou ao Parque 13 de Maio por volta das 18h30, onde militantes já a aguardavam.

Dilma veio acompanhada do ex-presidente Lula e dos senadores Humberto Costa (PT) e Armando Monteiro Neto (PTB), que concorreu ao governo do estado, este ano, com apoio dela. A vereadora do Recife, Marília Arraes (PSB), prima do ex-governador Eduardo Campos (PSB), também estava presente, assim como os deputados federais João Paulo (PT), Paulo Rubem (PDT) e a deputada federal eleita Luciana Santos (PCdoB).

O grupo seguiu pela Avenida Conde da Boa Vista em carro aberto. O destino foi a Praça da Independência, conhecida como a pracinha do Diario. Da sacada dos prédios, muitos moradores jogaram papéis picados a medida que o cortejo passava.

Diversos carros de som tocaram jingles. Os ônibus de linha que circulam pela Conde da Boa Vista ficaram parados, provocando uma enorme fila de veículos engarrafados. Em um deles, o motorista decidiu sair do ônibus e começou a dançar em cima do coletivo.

Ao chegar na pracinha do Diario, a candidata fez um discurso. Dilma disse que está enfrentando a mais aguerrida disputa presidencial. Ela também afirmou que há muitas coisas a serem feitas no Brasil, mas o governo está no rumo certo. "Temos que melhorar a educação, segurança e saúde. Mas hoje esse país não se ajoelha diante do Fundo Monetário Internacional."

Ainda enquanto a presidente fazia o percurso, o ex-prefeito do Recife, João Paulo (PT) falou para a multidão na pracinha. Ele fez muitas críticas ao PSDB e ressaltou projetos sociais do PT. Reclamou que apenas os “ingratos” e “traidores” não reconhecem o que Lula e Dilma fizeram por Pernambuco. O deputado Paulo Rubem (PDT) também discursou e pediu mobilização nos últimos dias de campanha.

Imprimir

Foto de Neymar em apoio a Dilma é falsa, diz empresa

9ine, responsável pelos direitos do atleta, divulgou nota afirmando que imagem do jogador com cartaz favorável à candidata petista é montagem

A empresa 9ine, que possui os direitos do jogador de futebol Neymar Jr, atacante da seleção brasileira e do Barcelona, divulgou nota nesta segunda-feira, 20, afirmando que uma montagem que circula na internet com a foto do jogador segurando um cartaz com mensagem de apoio à reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT) é falsa.

“A verdade é que o atleta postou uma foto sua segurando um cartaz com mensagem de parabéns ao filho, por quem ainda declara o seu amor. O que aconteceu é que a frase foi maldosamente alterada em benefício de um partido político”, afirma a nota da empresa do ex-jogador Ronaldo, responsável pelos direitos do atacante da seleção.

“A 9ine, como parceira da NR Sports, que é a empresa responsável pelo gerenciamento de imagem de Neymar, esclarece, a pedido de seu atleta, que Neymar não divulga o voto e que qualquer imagem partidária envolvendo opção de voto do jogador é falsa”, conclui o texto.

A 9ine é controlada pelo ex-jogador da seleção, Ronaldo, que já declarou apoio ao candidato do PSDB, Aécio Neves, inclusive tendo participado de atos de campanha do tucano.


CONFIRA AS IMAGENS DE NEYMAR ABAIXO:

Imprimir

TSE cassa tempo de TV de Aécio Neves e Dilma Rousseff

Corte aumenta rigor sobre campanhas dos candidatos à presidência chega a proibir reprises de propagandas de PT e PSDB

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu aumentar ainda mais o rigor e, desde domingo, começou a conceder liminares para cassar o tempo de propaganda no rádio e na televisão da candidata à reeleição, a petista Dilma Rousseff, e do seu adversário, o tucano Aécio Neves. A punição mais dura da Corte Eleitoral às vésperas do segundo turno é uma resposta à insistência das campanhas presidenciais de continuar com ataques nas propagandas, sem usar o espaço para apresentar propostas ao eleitorado.

Até o início da noite desta segunda-feira, o TSE concedeu três liminares para não só proibir reprises de programas mas também retirar o tempo das coligações. Na mais dura delas, Gonzaga cassou quatro minutos em inserções de Dilma. Ele atendeu a pedido da campanha de Aécio que questionava uma propaganda na qual o PT acusava o tucano de não respeitar as mulheres. A peça mostrava uma montagem com declarações de Aécio de debates em que chama Dilma e a candidata derrotada do PSOL, Luciana Genro, de "levianas".

Em outra, Admar Gonzaga determinou a perda de 36 segundos do tempo de rádio da campanha de Dilma por terem feito uma paródia do "hino não-oficial" de Minas Gerais com o adversário. "Oh, Minas Gerais, quem conhece Aécio não vota jamais!". A campanha do candidato do PSDB também foi punida com a perda de dois minutos e 30 segundos por ter acusado Dilma de ter prevaricado em relação às investigações da Operação Lava Jato, que investiga irregularidades na Petrobrás.

Intervenção. Na última quinta-feira, o TSE decidiu adotar uma postura mais interventora para coibir as peças com ataques pessoais que vinham sendo veiculadas desde o primeiro turno das eleições. O entendimento anterior da Corte, mais "minimalista", permitiu que as campanhas de Dilma e Aécio atacassem diretamente a então candidata do PSB, Marina Silva, chamada de inexperiente e até comparada aos ex-presidentes Fernando Collor e Jânio Quadros, que não terminaram os mandatos. Com Marina fora do segundo turno, a agressividade continuou na disputa entre a petista e o tucano, o que levou a uma primeira mudança de postura do TSE.

Contudo, o entendimento reservado dos ministros é de que as decisões tomadas pelo tribunal de apenas suspender liminarmente as propagandas das duas campanhas desde quinta-feira têm sido inócuas para acabar com os ataques de parte a parte. Por essa razão, os ministros discutiram entre eles o endurecimento das decisões.

E aí entenderam que, além de suspender as peças, seria necessário cassar o tempo das propagandas dos candidatos. "Primeiro tentamos informar as campanhas qual é o limite, mas vimos que as propagandas (com ataques) prosseguiram. Tivemos preocupação de não haver um descumprimento do entendimento do tribunal", disse o ministro Admar Gonzaga, do TSE. "Serve para as campanhas entenderem que a regra é para valer."

Arma eleitoral. Durante a campanha, as inserções têm sido uma poderosa arma dos marqueteiros para convencer o eleitor por serem veiculadas ao longo da programação diária no rádio e na TV, ao contrário do horário eleitoral gratuito, com horários definidos. No segundo turno, cada candidato à Presidência tem sete minutos e 30 segundos em inserções diariamente. Elas podem ter de 15, 30 ou 60 segundos. De amanhã (21) a sexta-feira - último dia para a propaganda gratuita - cada um dos candidatos tem direito a 30 minutos de inserções, portanto.

Ministros acreditam que, com a cassação do tempo na TV, as campanhas passarão a respeitar a determinação do TSE e fazer inserções mais propositivas, com receio de, na reta final, perderem tempo de propaganda. Até o início da noite desta segunda-feira, 28 representações questionavam propagandas dos adversários após a mudança de entendimento do tribunal.

Em todas elas que já foram analisadas, o TSE decidiu suspender as propagandas. De todas essas, três mais recentes eram para cassar o tempo das propagandas. Até o fechamento desta edição, sete ainda estavam pendentes para serem analisadas.