Imprimir

666: Desvendando o verdadeiro significado do 'número da besta' e outros mitos do Apocalipse


Alguns acadêmicos acreditam que ele usava códigos e símbolos para alertar os cristãos da época sobre a adoração ao imperador de Roma e lançar um ataque ao poderoso regime.

O "número da besta" - 666 - é, talvez, a referência mais famosa do Apocalipse. O trecho que o cita diz: "Quem tiver discernimento, calcule o número da besta, pois é número de homem, e seu número é 666".

Até hoje, 666 é usado para falar sobre a imagem do mal. Mas qual seria o significado por trás dele?
 Era comum, na Antiguidade, usar números para disfarçar um nome. Nos alfabetos grego e hebraico, toda letra tem um número correspondente. Então, se você somasse todas as letras do seu nome, você tinha um código numérico.

O professor Ian Boxall, da CUA (Catholic University of America), dá um exemplo com Anna.

"A" vale 1 e "N" vale 50. Anna, então, seria 102.

Se você escrever o nome do imperador Nero Cesar no alfabeto hebraico, a equação fica: 200+60+100+50+6+200+50=666.

Historiadores acreditam que a perseguição de Nero a cristãos em Roma fez com que ele fosse uma figura odiada pelos primeiros cristãos.

Outros mitos
Diversos outros mitos conhecidos vêm do Apocalipse - e têm relação com a situação de Roma na época.

Nem todo mundo sabe, por exemplo, que Armagedon vem da Batalha do Armagedon, descrita no livro. O nome Armagedon é baseado no nome do Megido, um monte que hoje fica em Israel.

Segundo estudiosos, "ar" (ou "har") significa monte em hebraico, e "magedom" (ou "magedo") equivale a Megido. Na época de João, o Megido era um sangrento campo de batalha e abrigava uma das legiões mais cruéis de Roma.

A batalha do Armagedom é uma luta entre o bem o mal - Deus e Satã - durante os últimos dias do mundo.

Já os cavaleiros do Apocalipse são quatro homens, em cavalos nas cores branca, vermelha, preta e verde. Eles soltariam no mundo a morte, guerra, fome e conquista, representando a violência resultante de escolher não seguir a palavra de Deus - a Roma imperial.

Outra imagem famosa do livro é a da besta do apocalipse e suas sete cabeças, que emerge do oceano e exige ser adorada. O nome de uma blasfêmia está escrito em cada uma das suas cabeças.

A besta seria Roma, e suas cabeças representariam os sete imperadores que a Roma antiga havia tido naquele tempo. Os nomes de blasfêmias representam a tendência dos imperadores romanos de se chamarem de deuses.

Influências
Até hoje, o Apocalipse tem influência na cultura a aparece em várias referências modernas.

Entre os filmes que fazem referência a ele estão O Sétimo Selo (1957), Fim dos Dias (1999), Filhos da Esperança (2006) e É o Fim (2013) - todos usam a imagem do fim do mundo.

Na literatura, estão entre os exemplos best sellers como a série Deixados para Trás (1995), O Nome da Rosa, de Umberto Eco (1980) e Revelação, de CJ Sansom.

Muitos músicos, de compositores clássicos a bandas de heavy metal, foram influenciados por temas da revelação.

O Iron Maiden batizou seu disco de 1982 de The Number of the Beast (O número da besta),
enquanto o álbum do Muse de 2006, Black Holes and Revelations, traz os Cavaleiros do Apocalipse na capa.

Imprimir

Janot: sonho com a Presidência da República em 2018?

Dentro da Polícia Federal, "cresce a crença de que, dadas as recentes ações e declarações impetuosas, Rodrigo Janot ensaia concorrer à Presidência em 2018". A informação foi publicada em um curta nota neste domingo 19 pela jornalista Vera Magalhães, do Radar Online.

Depois do afastamento da presidente Dilma Rousseff, em meio ao processo de impeachment, o procurador-geral da República já apresentou denúncias contra a cúpula do PMDB, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) e também mirou contra o ex-presidente Lula.

Contra Aécio, há dois inquéritos envolvendo o tucano em um esquema de propina em Furnas e em uma suposta tentativa de influenciar a CPI dos Correios, de 2005, para ocultar dados que envolvessem nomes do mensalão tucano em Minas Gerais. Segundo acusações feitas pelo senador cassado Delcídio Amaral, o senador do PSDB teria atuado para maquiar documentos do Banco Rural.

O procurador-geral incluiu o ex-presidente Lula no inquérito que investiga Delcídio por supostamente ter tentado evitar a delação premiada do ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró. Trata-se de um aditamento à denúncia que já havia sido apresentada ao Supremo, em que Janot inclui, além de Lula, o empresário José Carlos Bumlai e seu filho, Maurício.

Janot incluiu até Dilma em sua lista de pedidos. O PGR solicitou autorizou do STF para investigar uma suposta obstrução à Justiça por parte da presidente, de Lula e do ex-ministro José Eduardo Cardozo. O pedido também teve como base a delação premiada de Delcídio Amaral, que afirmou que Aloizio Mercadante lhe pediu para que não firmasse a delação ofereceu ajuda para pagar os advogados.

Nessa semana, o Supremo Tribunal Federal atendeu a um pedido de Janot e determinou a abertura de inquérito para investigar se integrantes da cúpula do PMDB no Senado receberam propina da construção da Usina de Belo Monte. São alvos o presidente do Senado, Renan Calheiros (AL), o senador e ex-ministro do Planejamento, senador Romero Jucá (RR), além de Valdir Raupp (RO) e Jader Barbalho (PA). Janot chegou a pedir a prisão de Eduardo Cunha (PMDB-RJ), Renan, Jucá e Sarney, mas não foi atendido.

Quando não sobrar mais ninguém, Janot poderá se apresentar ao Planalto?

Imprimir

Bruno quer Joaquim Francisco na CBTU

O ministro das Cidades, Bruno Araujo, indicou, na última sexta-feira, o ex-prefeito do Recife e ex-governador do Estado Joaquim Francisco para o comando da presidência do Conselho de Administração da CBTU, no Rio de Janeiro. Atualmente, o ex-prefeito ocupa a função de presidente do Instituto Teotônio Vilela, ITV, no PSDB de Pernambuco.

Até o ano passado, estava no PSB, onde entrou a convite do ex-governador Eduardo Campos. Joaquim Francisco presidiu a comissão especial na Câmara Federal que resultou na aprovação da Lei de Responsabilidade Fiscal, no início do segundo mandato do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB).

“Com sua experiência de ex-prefeito do Recife, em um tempo em que a operação do Metrô era modelo, além de contribuir para uma boa gestão do conselho de administração da CBTU, ele terá autoridade, terá legitimidade para estar vigilante com o que ocorre no Metrô do Recife”, afirmou Bruno Araujo. O ministro afirmou que o governo federal ainda não definiu um nome definitivo para a presidência do Metro do Recife.

Imprimir

No Recife, Álvaro Dias diz que políticos precisam mudar

O Senador Álvaro Dias (PV-PR) afirmou, no Recife, em encontro com lideranças do Partido Verde, legenda pela qual deverá disputar a sucessão presidencial, em 2018, que os políticos precisam mudar. Ele reuniu-se com cerca de 300 militantes do PV, entre pré-candidatos às câmaras municipais e às prefeituras da Região Metropolitana e do interior.

“Ou nós, políticos, mudamos, ou seremos atropelados pelo desejo irreversível de mudança da sociedade Brasileira de termos um outro Brasil”, aquele sem “sistema de barganha, que rima governabilidade com promiscuidade”.

“Considero fundamental a mudança da cultura política e a mudança desse modelo governo, que foi implantado, que se institucionalizou, que se consolidou”, afirmou.

O senador explicou o sistema a que se refere. “O do balcão de negócios, o aparelhamento do Estado brasileiro com o loteamento dos cargos públicos, abrindo portas para a corrupção no país”.

Para Álvaro Dias todas essas práticas vêm servindo para que “o governante possa ter ampla base de apoio, e aí ele barganha o que não lhe pertence, mas que pertence à Nação. Barganha com os cargos e recursos públicos, abrindo as portas para a corrupção no país”.

“Por isso, a estrutura da administração pública brasileira cresceu extraordinariament e, já chegamos a até 40 ministros”.

Para o senador, esse crescimento terminou por minar “a energia do poder público brasileiro, aniquilando a capacidade de investir em setores essenciais como segurança pública, saúde, educação”.

“Esse modelo de balcão de negócios é a matriz dos governos corruptos e incompetentes. É a usina dos grandes escândalos que hoje provocam grande indignação no povo brasileiro. É esse sistema de promiscuidade, da relação desonesta entre executivo, legislativo, partidos políticos e grupos empresariais que tem que ser condenado pelo PV”, disse. “O PV precisa ser algoz desse sistema”, completou.

No Recife, ele foi recebido pelo Presidente do PV de Pernambuco, Carlos Augusto, pré-candidato à Prefeitura. Disse gostar muito da frase imortalizada pelo falecido ex-Governador Eduardo Campos. “A desesperança campeia, solta, pelo Brasil afora. O saudoso governador Eduardo Campos dizia que não podemos desistir do Brasil. Não devemos jogar a toalha. Não devemos desistir dos brasileiros, porque eles são fundamentais na construção de uma Nação, com prosperidade, justiça, e sobretudo com respeito aos valores essenciais da família brasileira, hoje em dia degradados pela conduta imoral dos que governam o país”.

Lembrou que as mudanças começam em casa, passam pelos municípios, estados, país. Dias cancelou a visita que faria ao interior, e ontem mesmo regressou para Brasília, prometendo voltar na campanha eleitoral. Pra representá-lo, o Presidente do PV, Carlos Augusto viajou à tarde para Vitória de Santo Antão e Caruaru.

Imprimir

Temer diz que delação de Sérgio Machado é 'mentirosa e criminosa'

O presidente em exercício Michel Temer classificou nesta quinta-feira (16) de "irresponsável, leviana, mentirosa e criminosa" a declaração do ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado em delação premiada. Machado afirmou às autoridades da Operação Lava Jato que Temer pediu a ele doações eleitorais para o ex-deputado federal Gabriel Chalita, que na época estava no PMDB, para a campanha à Prefeitura de São Paulo em 2012.

Temer destacou em meio ao pronunciamento que alguém que tivesse cometido os "delitos irresponsáveis" que Machado apontou na delação premiada "não teria condições de presidir o país".

"Por isso, que a palavra que dei foi como homem, para poder andar nas ruas do meu estado, do Brasil, e receber os cumprimentos e homenagens que venho recebendo nesse último mês", enfatizou.

Sérgio Machado também disse que Temer assumiu a presidência do PMDB para controlar a destinação de recursos doados pela JBS a políticos do partido para campanhas eleitorais (veja posicionamento da empresa no fim desta reportagem).

O conteúdo da delação veio à tona nesta quarta-feira (15), após homologação do Supremo Tribunal Federal (STF).

Em troca da colaboração, Machado pode ter a pena reduzida, se for condenado por algum crime. O delator disse que repassou propina a mais de 20 políticos.

 Temer fez uma declaração à imprensa no Palácio do Planalto para rebater as afirmações do ex-presidente da Transpetro.

"Eu quero fazer uma declaração a respeito da manifestação irresponsável, leviana, mentirosa e criminosa do cidadão Sérgio Machado. E quero dizer aos senhores e as senhoras que eu falo, em primeiro lugar como homem, como ser humano, para dizer que a nossa honorabilidade está acima de qualquer outra função ou tarefa pública que exerça no momento ou venha a exercer", disse o presidente em exercício.

No depoimento, Machado narrou um encontro que teve com Temer em setembro daquele ano. Na ocasião, ele diz que acertou o valor de R$ 1,5 milhão para a campanha, pagos pela construtora Queiroz Galvão ao diretório do PMDB.

Temer disse ainda que não deixaria as afirmações de Machado "passarem em branco". Para o presidente em exercício, a "leviandade não pode prevalecer".

"E ao falar como ser humano, eu quero me dirigir à minha família, aos muitos amigos e conhecidos que tenho no Brasil, quero me dirigir ao povo brasileiro, que não deixarei passar em branco essas afirmações levianas que acabei de mencionar. [...] Enquanto alguns deixam passar em branco, eu não deixarei. Devo revelar com palavras indignadas, ao meu estilo, para registrar que esta leviandade não pode prevalecer", afirmou.

Ainda na quarta-feira, o presidente em exercício divulgou uma nota na qual disse ser "absolutamente inverídica" a informação de que ele teria pedido recursos ilícitos a Machado. Temer afirmou que mantinha "relacionamento apenas formal e sem nenhuma proximidade" com Machado.

Na nota, Temer disse que "sempre respeitou estritamente os limites legais para buscar recursos para campanhas eleitorais".

Imprimir

Ataque de jacaré é o 1º com morte na Disney em seus 45 anos

France Presse


Corpo de Lane Graves, de 2 anos, foi encontrado 'intacto'.
Ataque de aligátor a menino de 8 anos em 1986 não terminou em tragédia.
Ataque de jacaré é o 1º com morte na Disney em seus 45 anos.


A morte do menino de 2 anos no "Grand Floridian Resort and Spa", dentro do grande complexo da Disney, é o primeiro ataque mortal de um aligátor (jacaré americano) nos 45 anos do parque Walt Disney World, no estado da Flórida (EUA). Após a tragédia, a Disney informou ter fechado todas as praias e marinas de seus resorts na Flórida por precaução.

A vítima foi identificada como Lane Graves, filho de Matt e Elisa Graves. A polícia encontrou o corpo do garoto "completamente intacto" nesta quarta-feira (15), segundo o xerife Jerry Demings, do condado de Orange, e foi entregue ao instituto médico legal do condado para a necropsia.

Demings disse que o corpo foi encontrado intacto na água por mergulhadores a cerca dois metros de profundidade e entre 9 e 13 metros do local onde sofreu o ataque. “A autópsia irá confirmar, mas não tenho dúvidas de que a criança foi afogada pelo aligátor”, disse Demings.

Segundo o xerife, não há razões para pensar que não seja do garoto. A polícia inclusive divulgou uma foto de Lane no Twitter, prestando "as mais profundas condolências à família Graves". "Pensamentos e orações estão com vocês durante este tempo difícil" (em tradução livre).
Lane foi arrastado por volta das 21h de terça-feira (14), horário local (cerca de 22h do horário de Brasília) por um aligátor (jacaré americano), no lago de um dos resorts da Disney no estado da Flórida.

O pai correu para dentro d'água e lutou com o animal, mas não conseguiu resgatar o filho, segundo policiais. A criança fazia parte de uma família de cinco pessoas, do estado de Nebraska, no meio-oeste dos Estados Unidos.

Eles estavam aproveitando o dia à beira do lago.

O "Grand Floridian" faz parte do enorme complexo de resorts da Disney, que inclui diversos parques temáticos, parques aquáticos, hotéis e pistas de golfe. Existe uma placa de "proibido nadar" no lago, mas nenhum aviso sobre aligátores.

"Todos aqui do Walt Disney World Resort estão devastados por esse trágico acidente", disse a executiva de comunicações, Jacquee Wahler. "Estamos dando auxílio à família e fazendo tudo o que podemos para ajudar no cumprimento da lei."

Ataque de aligátor em 1986
Um caso parecido de ataque de aligátor ocorreu há 30 anos na Disney. O jacaré americano foi morto após atacar e ferir uma criança de 8 anos no Walt Disney World em 12 de outubro de 1986.

Segundo notícia da agência de notícias Associated Press da época, Paul Richard Santamaria não ficou seriamente ferido. O cirurgião-pediatra Clinton Cavett disse que o menino teve "quatro ou cinco lacerações superficiais" na perna esquerda e não precisou passar por cirurgia. "Foi desesperador, mas ele está em boas condições e somos muito afortunados que não aconteceu o pior", afirmou à época a mãe de Paul, Roberta Santamaria. Eles eram de Birstol, New Hampshire.

Paul estava brincando com seu irmão, irmã e outra companhia em um domingo quando decidiu observar um grupo de patos a alguns metros de distância. Ao se aproximar da água, o aligátor saiu da água e atacou sua perna esquerda. Mas ele conseguiu escapar com vida.

Outras mortes já foram registradas no parque, mas não relacionadas a ataques de aligátores. Depois do ataque, a fêmea de mais de 2 metros foi abatida e enterrada por agentes, segundo o jornal "The Orlando Sentinel".

Família 'perseguida'
Uma família inglesa diz ter sido "perseguida" por um aligátor semanas antes do ataque Lane, segundo o jornal "Daily Mirror". Carl, de 34 anos, e Karen Davies, de 37 anos, afirmaram ao jornal que estavam sentados na praia do Disney's Polynesian Village Resort, com seus dois filhos pequenos, quando um jacaré gigante apareceu. O incidente ocorreu em abril.

Eles se preparavam para assistir os fogos de artifício do parque Magic Kingdom, que ocorre à noite, quando a filha de oito anos ouviu um som "parecido com um jet-ski" na água. Momentos depois, eles viram um vulto sair da lagoa em frente e uma outra família, canadense, gritou "Aligátor!" e todos saíram correndo. Ninguém ficou ferido.

Animais comuns na Flórida
Aligátores são comuns no estado e podem ser encontrados em água doce ao longo da Flórida, mas é raro eles atacarem humanos.

Imprimir

Equipes acham caixa-preta de avião da EgyptAir que caiu no Mediterrâneo

Avião caiu no Mediterrâneo no dia 19 de maio com 66 a bordo.
Airbus A320 fazia a rota Paris-Cairo quando desapareceu dos radares.


As equipes que participam das buscas do avião da EgyptAir encontraram uma das caixas-pretas do Airbus A320, informaram nesta quinta-feira (16) as autoridades egípcias. O avião da EgyptAir caiu no Mar Mediterrâneo no dia 19 de maio com 66 pessoas a bordo.

Na quarta-feira (15), destroços da cabine do avião foram localizados em "vários lugares", segundo a comissão de investigação egípcia. Os objetos foram achados pelo navio da empresa francesa Deep Ocean Search (DOS), que participa das operações de buscas.

O Airbus A320 fazia a rota Paris-Cairo, quando caiu com 66 ocupantes a bordo, depois de desaparecer repentinamente dos radares por causas ainda desconhecidas.

Na aeronave estavam 40 egípcios, incluindo a tripulação, 15 franceses, dois iraquianos, dois canadenses, assim como cidadãos de Argélia, Bélgica, Reino Unido, Chade, Portugal, Arábia Saudita e Sudão.

Buscas
O barco "John Lethbridge" chegou em 9 de junho ao Egito para se unir aos trabalhos de buscas na área onde caiu a aeronave, entre a ilha grega de Creta e o Egito.

Esse navio conta com um sistema de radar de sonar lateral, que pode fazer imagens do fundo do oceano. Também tem um robô submarino que pode descer a até 6 mil metros de profundidade para "fazer observações visuais".

Na última segunda-feira, a comissão de investigação advertiu que as duas caixas-pretas parariam de emitir sinais em 24 de junho. O navio da Marinha francesa "Laplace" havia conseguido detectar em 1º de junho o sinal de uma das caixas.

De acordo com os investigadores egípcios, confirmando o que já havia sido dito pelas autoridades gregas, a aeronave fez um giro de 90º à esquerda e, depois, de 360º à direita, antes de cair no Mar Mediterrâneo.

Inicialmente levantada pelo Egito, a hipótese de atentado cedeu terreno à do incidente técnico. O aparelho emitiu dois alertas automáticos dois minutos antes da queda, sinalizando fumaça dentro da cabine dos pilotos e uma falha no computador que gerencia os comandos.
Vários investigadores franceses da BEA e especialistas da Airbus participam das buscas na costa egípcia.

Imprimir

Jaboatão diz ao MPPE que tem equilíbrio financeiro e confirma São João com artistas locais

Conforme revelou o Blog de Jamildo, na terça-feira, sem alarde, em despacho publicado no Diário Oficial, a promotora Ana Luiza Figueiredo, do Ministério Público do Estado (MPPE), afirmou que o prefeito de Jaboatão dos Guararapes, Elias Gomes (PSDB), não estava pagando as rescisões trabalhistas e as férias dos servidores.

Segundo a promotora, esta decisão de Elias Gomes consta do Decreto 155/2015, assinado pelo prefeito, deixando para pagamento posterior todas estas verbas. Com base neste decreto, a promotora notificou o prefeito para suspender todos os gastos com festas e São João. Segundo o MPPE, gastar com festas, enquanto os servidores estão sem receber parte de seus direitos, viola o princípio da moralidade administrativa.

Foi requisitado ao prefeito, que até 20 de junho apresentasse justificativas sobre a situação. As denúncias partiram de servidores da própria Prefeitura e já foi aberto o inquérito 32/15 para investigar a questão.

Em reunião com representante do Ministério Público Estadual (MPPE), a Prefeitura do Jaboatão dos Guararapes disse ao MPPE que a situação é de adimplência do município em relação a todos os pagamentos relativos ao funcionalismo municipal (salários, férias, verbas indenizatórias etc), inclusive com a entrega das folhas de janeiro a maio deste ano.

“Com o equilíbrio financeiro, a gestão confirmou a realização de festejos juninos na cidade. A programação terá apenas artistas locais, num custo modesto”.

Participaram da reunião com a promotora Ana Luiza Figueiredo o secretário de Assuntos Jurídicos e Administração de Jaboatão, Julio Cesar Corrêa.

“Jaboatão levou documentação comprovando a adimplência da Prefeitura com a folha salarial e demais pagamentos trabalhistas. Dessa forma, comprovamos que Jaboatão não se enquadra como alvo de recomendação do MPPE para que municípios que estejam com débitos relativos ao pagamento do funcionalismo não promova festejos juninos”.

“Nós pagamos a folha em dia, sem nenhum atraso, desde 2009, quando a gestão Elias Gomes começou. Muitas vezes, inclusive, pagamos antecipado, como ocorreu no último mês de maio e voltará a acontecer este mês: nó próximo dia 23 vamos pagar a folha de junho e, junto, a metade do décimo-terceiro”, informou Júlio César, ressaltando que, com esse pagamento antecipado, serão injetados algo em torno de R$ 62 milhões na economia local.

No encontro com o secretário, a promotora Ana Luiza Figueiredo perguntou se a Prefeitura vai contratar algum artista de perfil nacional para a festa de São João e se está fechando algum patrocínio privado para promover os shows.