Imprimir

A Verdade em Foco (Podcast) - Ozias Valentin

Estamos inaugurando uma nova forma de comunicação na cidade da Vitória de Santo Antão. Em tempos onde a mídia assistida e ouvida são dominadas por concessões que mais se parecem com conchavos políticos, onde rádios e televisões são mais propriedades particulares do que públicas, surgimos aqui com esta mídia alternativa muito difundida mundo a fora, o Podcast.

Podcast se trata de uma rádio onde o seu conteúdo é divulgado de maneira diferente, com a vantagem de você poder acompanhar a programação onde você estiver e no horário que você preferir. Mais uma vez o Jornal A Verdade vem na vanguarda de novas propostas, experiências e tecnologias. A partir de agora teremos uma Voz na cidade de VItória de Santo Antão e região, o nosso leitor pode se transformar em ouvinte e assim estamos dando mais um passo na ocupação dos espaços de comunicação disponíveis neste vasto mundo que é a internet.

Você poderá acompanhar nosso Podcast através desta página onde no final da postagem terá um Player onde bastará clicar no Play ►.

Mas, para a sua comodidade, também estará disponível para telefones Android, através do Aplicativo Podcast Addict disponível no Google Play. E também para usuários de iPhones e Mac através do iTunes.

Neste primeiro programa tivemos o prazer de entrevistar o Secretário de Governo e Articulação Política da cidade da Vitória de Santo Antão Ozias Valentim e principal nome para a sucessão do atual prefeito Elias Lira pelo PSD.

Aproveitem o nosso primeiro programa.

Imprimir

Oposição promete paralisação pacífica de ônibus entre 4h e 10h desta quarta

A quarta-feira promete repetir o drama vivenciando por cerca de dois milhões de usuários do transporte público na Região Metropolitana na última segunda. A Oposição dos Rodoviários de Pernambuco anunciou a paralisação do sistema entre 4h e 10h. A manifestação será pacífica, de acordo com os organizadores. Nesta terça, motoristas, cobradores e fiscais se dividiram entre o protesto programado pelo Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviários de Pernambuco e uma panfletagem articulada pela Oposição na Praça da Independência, conhecida como Praça do Diario, ambos na região central do Recife.

Para Aldo Lima, presidente da Oposição, os atos refletem a insatisfação da categoria com a derrubada do reajuste salarial por parte do Tribunal Superior do Trabalho. "Estamos aqui para apoiar os trabalhadores. A categoria está mobilizada há muito tempo. Desde o dia em que descobrimos que os patrões recorreram da decisam do Tribunal Regional do Trabalho. Nossa luta é legítima", esclareceu o líder do movimento.

De antemão, a Oposição informou que a paralisação será pacífica e deverá acontecer apenas pela manhã. "Vamos protestar sim e a paralisação está programada para acontecer entre 4h e 10h", detalhou. "Agora se houver truculência ou coação por parte dos empresários, vamos fazer novos atos", complementou Aldo Lima.

Nesta terça, o grupo reuniu alguns trabalhadores para entregar uma carta aberta À população explicando os motivos do movimento. No documento, eles denunciaram o sucateamento da frota e o descaso com as condições de trabalho de motoristas, cobradores e fiscais.

A Oposição dos Rodoviários não tem novas assembleias marcadas e adiantou que vai aguardar o julgamento do recurso pelo TST.

Confira o texto da carta aberta entregue à população na íntegra:

Quem usa transporte público sabe o sufoco que é todos os dias. Ônibus lotados e velhos, com falta de manutenção e de segurança. Isso tudo com o preço das passagens muito alto. Nós, rodoviários, também sofremos. São péssimas as condições de trabalho! Os salários são baixos e recebemos o pior ticket alimentação do Brasil.

Enquanto nós rodoviários e vocês trabalhadores usuários somos tratados com desrespeito... Eles, os mega-empresários dos transportes riem da gente, junto com o Excelentíssimo Senhor Governador que tem o rabo preso com eles, afinal financiaram sua campanha eleitoral. Eles nadam em dinheiro e nós nadamos e nadamos e morremos na praia.

Por que vamos paralisar novamente?

Duas semanas atás fizemos uma greve e conquistamos 12% de reajuste salarial e R$ 300 nos tickets alimentação. Os patrões conseguiram suspender esse aumento com a ajuda de seus amiguinhos de Brasília. Dizem que "não existe dinheiro". Como assim não tem dinheiro? Por que não abrem as contas para a população? Um verdadeiro absurdo!

As paralisações causam muito transtorno para a população, sabemos disso. Mas a culpa não é nossa! Somente através dela podemos mostrar a nossa força para os empresários e para o governo. Eles que são os culpados de tudo isso que está acontecendo.

Muitos nos perguntam porque não abrimos as catracas. Essa medida é ilegal e podemos até ser presos se fizermos isso. Somos pais e mães, trabalhadores como vocês, queremos apenas respeito e salário digno para sustentar nossas famílias.

Agradecemos o apoio que recebemos de toda a população!

É preciso lutar, é possível vencer!

Imprimir

Militantes do PT fazem ato para protestar contra ajuste fiscal, tocado pelo próprio governo petista

Os autointitulados “movimentos sociais” estão programando fazer, no dia 20, atos em dez capitais do país em resposta aos protestos do dia 16. Nesta terça-feira, deve ser lançado hoje manifesto com duras críticas ao governo Dilma Rousseff. “Contra a direita”, eles se dizem também contra “o ajuste fiscal”. O documento é assinado por MTST, CUT, MST, UNE e por dois partidos: PSOL e PC do B. O PT foi convidado, mas não endossou o texto.

Imprimir

Compesa pode enfrentar greve a partir da zero hora deste sábado

O Sindicato dos Trabalhadores da Compesa, denominado Sindicato dos Urbanitários de Pernambuco (Sindurb/PE), informou na tarde desta terça-feira (4) que os servidores da estatal aprovaram greve por tempo indeterminado. A paralisação terá início a partir da meia noite do próximo sábado (8). A última greve da categoria aconteceu em 2001.

Por ser considerado serviço essencial, a categoria disse que irá respeitar os trâmites legais de comunicado com 72h de antecedência, em respeito, principalmente, à população usuária dos serviços.

“Após mais de três meses de negociação, em audiência de mediação realizada no Ministério Público do Trabalho, a Compesa apresentou uma proposta considerada rebaixada pela categoria, sendo o índice do INPC, de 8,34%, e a forma de pagamento de 5% este ano e 3,34% apenas em 2016″, explica o sindicato.

Na última mesa, realizada no último dia 28, o procurador José Laízio Pinto Junior, mediando as negociações, reconheceu a ocorrência de malogro no processo.

A categoria reivindica um aumento de 13,28% retroativo a maio e pago ainda esse ano. De acordo com a entidade sindical, além disso, há cláusulas sociais importantes para corrigir diferenças salariais e pagamento de hora extra, por exemplo.

O presidente do Sindurb/PE, José Gomes Barbosa, explica que durante a paralisação serão mantidos os serviços de tratamento e distribuição de água. “Em cumprimento à determinação judicial, vamos  priorizar os trabalhadores que atuam na atividade de produção de água e nas estações de tratamento. O serviço é primordial e é o que causa maior transtorno à população caso falte”, afirmou Barbosa.

Quanto à entrega das contas e o funcionamento das lojas de atendimento, Barbosa explica que a atividade é feita por empresa terceirizada, mas adverte que os servidores responsáveis pela emissão das contas estarão em greve. Logo, o serviço deve atrasar.

“Os demais serviços de atendimento, os encanadores, os demais trabalhadores vão estar paralisados”, disse.

PROTESTO – A categoria aprovou a realização de uma passeata na próxima segunda-feira, 10, com a concentração a partir das 8h, na Compesa da Avenida Cruz Cabugá.

Imprimir

Prefeitura de Gravatá divulga nota para explica inquérito aberto pelo MPF

Em resposta à matéria publicada na data de 4 de agosto do corrente ano, por este respeitado blog, onde alega em suma: “Que a Prefeitura de Gravatá recebeu cerca de 10,7 milhões de reais do Ministério do Turismo destinado ao recapeamento do asfalto da cidade, e por via de conseqüência, possíveis irregularidades na execução de tal convênio”. Esclarecemos que o conteúdo divulgado não reflete na integralidade à realidade dos fatos.

Cabe esclarecer que o contrato de repasse de número 245.474.022005 tem como objeto a pavimentação da rodovia PE 087 ligando o município de Gravatá ao distrito de Mandacaru/Uruçu Mirim, zona rural da cidade, uma obra iniciada na gestão passada e que está inacabada.

Tal contrato foi celebrado entre o Ministério do Turismo (União) e a Secretaria de Turismo do Governo do Estado de Pernambuco no ano de 2005.

Dentro desse contexto, o município de Gravatá figurou um referido contrato de repasse, apenas e tão somente como interveniente executor. Portanto, a fonte dos recursos é oriunda do Ministério do Turismo e tendo como contrapartida do Governo do Estado de Pernambuco, através da sua Secretaria de Turismo.

Cumpre assegurar que o episódio veiculado na referida matéria ocorreu em gestões passadas, portanto não procede a informação desta coluna “a prefeitura recebeu o dinheiro para fazer asfaltamento, mas, quando a Controladoria Geral da União (CGU) foi em Gravatá verificar, as obras nem mesmo tinham sido iniciadas”.

Vale salientar que em nenhum momento o prefeito Bruno Martiniano (sem partido) manteve qualquer contato com o PSB, ou teve negado seu nome para uma possível filiação. No momento, o prefeito Bruno Martiniano está analisando qual a legenda vai se filiar, tendo em vista ter sido convidado por 5 partidos.

A bem da verdade, é preciso ser dito que o post do Blog de Jamildo nunca se referiu que a pessoa física do prefeito tinha recebido os R$ 10 milhões, mas sim a “Prefeitura” (ente público). A “Prefeitura” continua sendo “Prefeitura”, seja na atual gestão ou em gestões passadas. Portanto, não houve erro algum no texto do post, mesmo com as explicações da nota oficial.

Como o despacho do procurador é de 21 de julho de 2015, o ofício solicitando explicações do município foi sim dirigido ao atual prefeito.

Sobre a questão partidária, não há como negar as informações. Sintomático que o governador Paulo Câmara tenha recebido no Palácio, em 21 de julho, o deputado Waldemar Borges (PSB) e um grupo de “notáveis” de Gravatá, para pedir melhorias na cidade, sem convidar o atual prefeito.

Imprimir

Dilma reúne conselho político para tratar de pauta da semana no Congresso

A presidente Dilma Rousseff reúne-se na manhã desta segunda-feira com o conselho político de seu governo para tratar do fim do recesso parlamentar e a difícil pauta no Congresso, onde vários projetos que podem impactar as contas públicas devem entrar em votação esta semana.

Estão com a presidente os ministros da Casa Civil, Aloizio Mercadante; da Secretaria de Comunicação da Presidência, Edinho Silva; da Aviação Civil, Eliseu Padilha; das Cidades, Gilberto Kassab; da Defesa, Jaques Wagner; da Secretaria da Geral da Presidência, Miguel Rossetto; das Comunicações, Ricardo Berzoini; da Fazenda, Joaquim Levy; do Planejamento, Nelson Barbosa; da Justiça, José Eduardo Cardozo; além do vice-presidente Michel Temer, o senador José Pimentel (PT-CE) e o líder do governo na Câmara, José Guimarães (PT-CE).
A presidente cobrará de seus auxiliares atenção redobrada com a tramitação de matérias que tenham impacto nas contas públicas. Com o fim do recesso parlamentar, o governo prepara suas armas para tentar barrar os avanços de temas que podem aumentar os gastos públicos, como o reajuste do Ministério Público, a criação de um piso nacional para policiais e bombeiros e a mudança no índice de atualização do FGTS.

Segundo um auxiliar palaciano, a eventual aprovação dessas matérias representaria uma perda ainda maior de prestígio da presidente, que já se viu obrigada a vetar o reajuste do judiciário. Para pacificar a base aliada e evitar novas traições o governo decidiu acelerar a liberação de emendas e a composição do segundo e terceiro escalões, que deve ser concluída em meados de agosto.

Deve entrar na conversa dos auxiliares políticos da presidente também a prisão do ex-ministro José Dirceu, decretada esta manhã em mais uma fase da operação Lava-Jato.

Imprimir

Em Pernambuco, dinheiro da merenda é engolido pela inflação

Repasses federais não sofrem reajustes há no mínimo três anos e municípios têm dificuldades de bancar sua parte nessa cota

Trinta centavos para um lanche. Um real para bancar três refeições diárias. Esses são alguns dos valores aplicados pelo governo federal no repasse de recursos do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), voltado para cada estudante da rede básica de ensino público municipal e estadual do Brasil. A justificativa do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) - autarquia responsável pelo PNAE - para o montante é que os repasses são um complemento financeiro disponibilizado pelo governo federal, já que a merenda é enquadrada como assistência social e, portanto, é um dever municipal e estadual. No ano passado, a média de repasse por aluno/dia no país foi de R$ 0,42. Em Pernambuco, o cenário foi um pouco melhor com R$ 0,48 de média. Enquanto isso, segundo estimativa da Confederação Nacional dos Municípios, a merenda diária de cada aluno custou em média R$ 1,80.

O total recebido por cada estado e município é definido conforme o número de matrículas, quantidade de dias letivos, com valores diários variando entre R$ 0,30 e R$ 1. E nos últimos anos, o auxílio federal não tem sido reajustado nem para recompor as perdas com a inflação que somente neste ano está acumulada em quase 9%, gerando reflexos nos municípios. “O que eu comprava com R$ 50 mil, hoje eu compro com R$ 70 mil. A mercadoria subiu, subiu energia e transporte, que são insumos estratégicos na composição do custo da merenda”, afirma o presidente da Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe) e prefeito de Afogados da Ingazeira, José Patriota (PSB). No município, a média de repasses para a alimentação diária de cada aluno foi de R$ 0,41. “Não gastamos menos de R$ 1”, aponta Patriota. Em Tuparetama, o cenário é parecido. O prefeito Dêva Pessoa (PSD) aponta que a prefeitura arca com cerca de R$ 300 mil anualmente para bancar a merenda. Os repasses federais totalizaram R$ 146 mil em 2014.

O prefeito de Cumaru e secretário-geral da CNM, Eduardo Tabosa (PSD), entende que além de aumentar e recompor a inflação, os investimentos feitos na merenda também deveriam entrar na soma dos 25% do orçamento que devem ser por lei, obrigatoriamente, investidos em educação pelos municípios. “O município precisa gastar um dinheiro que não tem”, afirma.

Em São Bento do Una, a prefeitura tenta aumentar a convivência dos alunos das 62 escolas municipais com alimentação saudável. Pequenas hortas são feitas e os produtos consumidos pelos alunos. De acordo com a prefeita Débora Almeida (PSB), além de gerar economia aos cofres municipais, a ação aumenta a empatia das crianças com os vegetais. “Os alimentos da horta que sobram, eles levam para casa. Alguns pais relatam que as crianças pedem para comprar esses alimentos que não tinham o costume de comer.” Ainda de acordo com a socialista, somente com gêneros alimentícios, o município investe mais de R$ 400 mil por ano. Esse valor é ainda maior se levado em conta gastos com água e pagamento de pessoal.

Imprimir

Inquérito federal investiga destino de R$ 10 milhões na Prefeitura de Gravatá

Sem alarde, o Ministério Público Federal (MPF) abriu mais um inquérito para investigar a Prefeitura de Gravatá.

Desta vez, o objeto é apurar possíveis irregularidades na execução de contrato de repasse firmado entre o Ministério do Turismo e o município. São 10,7 milhões de reais, destinados ao recapeamento do asfalto da cidade.

Segundo o procurador Luiz Miranda, a prefeitura recebeu o dinheiro para fazer asfaltamento, mas, quando a Controladoria Geral da União (CGU) foi em Gravatá verificar, as obras nem mesmo tinham sido iniciadas.

Em despacho assinado em 21 de julho, o procurador determinou que o prefeito Bruno Martiniano (sem partido) dê explicações sobre a aplicação do dinheiro.

“Oficie-se à Prefeitura Municipal de Gravatá/PE para, no prazo de 15 (quinze) dias, informar a situação atual da obra, objeto do convênio celebrado entre a municipalidade e o Ministério do Turismo”, ordenou o procurador da República.

Em julho, o Blog revelou que foi aberto um inquérito no MPF para apurar possível crime na derrubada de um pontilhão tombado pelo patrimônio histórico.

Bruno Martiniano deixou o PTB, após apoiar o governador Paulo Câmara (PSB) nas eleições de 2014. O PSB já negou legenda ao prefeito, apesar do apoio nas eleições de 2014. O provável candidato do PSB em Gravatá será o deputado estadual Waldemar Borges.

Bruno Martiniano está em negociações para se filiar ao PMDB.

Segundo informações de bastidores, a negociação “esfriou”, devido às várias denúncias de corrupção feitas contra a gestão, inclusive por ex-secretários municipais de Bruno Martiniano.

Imprimir

Paulo Câmara espera fazer dinheiro com nova venda da folha de pessoal para bancos nacionais

O governador Paulo Câmara revelou, nesta sexta-feira, que, diante da queda na arrecadação de ICMS e a necessidade de fazer caixa, espera obter recursos adicionais para o Caixa do Estado, no ano que vem, com a venda da administração da folha de pessoal, pelos bancos. a licitação em vigor atualmente vence em fevereiro de 2016.

Pelo lado das despesas, mesmo afirmando que há sempre o que cortar, observou que vai ficando cada vez mais difícil economizar, sob pena de atingir serviços essenciais e fundamentais para a população.

“Vamos atravessar 15 (2015) com muita dificuldade”, avaliou.

Paulo Câmara também comentou que estava tendo dificuldade de colocar em funcionamento unidades de pronto atendimento especialidade já prontas, para evitar ampliar despesas. “Não vamos ampliar serviços porque, em uma situação de dificuldade de caixa, isto vira uma bola de neve. Além disto, o SUS não está credenciando e não temos condições de bancar sozinhos sem o SUS e o governo Federal”, comentou.